"Numa reflexão crítica e rigorosa, Mafalda Fonseca, advogada e sócia da João Pinto Germano & Associados, considera que o objetivo estratégico da nova Lei do Arrendamento Urbano não será globalmente alcançado, tendo em conta o ambiente económico e social que se vive no país. Cumprindo a função social inerente à sua classe profissional, a advogada esclarece dúvidas quer de proprietários, quer de arrendatários".

 

 

Clique aqui para ler o artigo completo, publicado no 'Qualidade & Inovação',  suplemento n.º 8 do Jornal «Público» de 5 de Dezembro de 2012.